Tentativa aloprada

Na revista Veja desta semana:

irpf_sl.jpg

É sempre bom saber que não sou o único a ver com maus olhos e questionar fortemente as tentativas alopradas do nosso governo de emplacar o software livre em todas as áreas onde ele pode meter o bedelho. Aliás, meter o bedelho e ditar tudo o que pode (e também o que não pode) é coisa típica desse nosso governo pseudo-socialista e neo-liberal (esquizofrenia pura), fechado ao diálogo, ultra-estadista e com viés tirânico/ditatorial que chega a dar medo. Software livre por mérito, não por decreto!


59 Comments on “Tentativa aloprada”

  1. Snoutx disse:

    E ae Alex blz?
    Queria te fazer uma pergunta na boa…
    Tu é uma espécie de ati-linux ou ati-software livre? Ou algo do genero…
    A muito tempo sou leitor assiduo dos teus artigos e só vejo vc falar de forma tão ‘…’ em relação ao software livre.
    Eu não tenho nada contra o windows até por que trabalho desenvolvendo nele, mas também trabalho com servidores linux.
    Gosto do linux por que eu posso criar em cima do SO brincar com o SO do geito que eu quero.
    Bom gostaria de te avisar também que ja brinquei com CF e com o ASP, e agora estou programdo com outras linguagens e afirmar de novo que não tenho nada contra o windows e não sou um anti-windows ou anti-bluescren ( anti-tela azul).
    Até brother parabens pelo blog que ta show, e eu tive que parar de dormir com o CF hehehe estou traindo ele hehehehe.
    Snoutx – Developer

  2. Eder S. G. disse:

    Muito boa noite Alex, Snoutx e demais internautas.

    Olhando os dados da imagem:

    http://www.cfgigolo.com/unsorted/irpf_sl-thumb.jpg

    Fiquei muitíssimo contente em saber que, cem mil contribuintes utilizaram outro sistema operacional (como o GNU/Linux) para preencherem suas declarações do imposto de renda.

    Estamos, a cada dia, notando que a utilização de Softwares Livres por parte do público não acadêmico está cada vez crescendo no Brasil e também ao redor do mundo. É fato que existe opção, ou seja, temos a oportunidade de escolher os softwares que utilizaremos.

    Muitos irão zombar desta estatística (0,5% dos usuários utilizando sistemas operacionais alternativos ao MS Windows), mas será que a alguns anos atrás haviam estes cem mil usuários destes sistemas operacionais alternativos? A alguns anos atrás o Software Livre era tão divulgado como é hoje? O número de publicações específicas nesta área também era o mesmo a alguns anos atrás? E o mercado, as corporações utilizavam computadores com tarefas de servidor para administrar, gerenciar e manipular dados?

    As pessoas estão cada vez mais curiosas, querem por que querem saber e até mesmo ver e utilizar Softwares Livres. Vamos deixar o tempo passar, pois características como qualidade, segurança, performace e outros enquadram um cenário positivo para os Softwares Livres.

    Desculpe-me pelos erros de ortografia. Tenham todos uma excelente semana.

  3. Ricardo Rabelo Mota disse:

    Rapaz, dá para te enxergar como um mauricinho, sabia? Aqueles camaradas que não estão nem aí para a população menos afortunadas da sociedade, que fica torcendo pelo desenvolvimento da pirataria, dentre outras coisas. Pô, meu, vê se te manca! Procure se informar sobre o Software Livre! Livre, entendeu? Ou você é contra a liberdade também? Tenha a santa paciência…

  4. Bourne disse:

    E o lobby da M$ ataca novamente e esse tal de Alex Hubner caiu como um patinho.

  5. Jan Miszura disse:

    Sou um dos 100.000 usuarios de linux que enviaram sua declaração de IR. Fico muito feliz em lembrar q destes 2 anos q não tenho mais windows na minha máquina, nunca mais precisei instalar/atualizar anti-virus, procurar cracker, me preocupar com spam, me preocupar com desfragmentação de disco, me preocupar em reiniciar o computador por causa da famosa tela azul. Eh complicado como tem pessoas que continuam apoiando nosso dinheiro ir para os EUA. Não eh dificil de enxergar isso, aquele ditado popular “tudo que é mais caro, é melhor!!” não se relaciona ao software, pois se pelo menos eu gastasse 30 mil pra andar de GOLF e realmente andasse em um GOLF estaria satisfeito, mas pra que gastar tanto se eu tenho uma FERRARI de graça na internet que se chama SOFTWARE LIVRE??? viva a Richard Stallman e a todos aqueles que apoiam o software livre, a solidariedade entre as pessoas, àqueles que não visam o dinheiro alheio e sim partilham do conhecimento e do software desenvolvido….

    Fiquem com Deus e usem software livre, por uma sociedade mais justa!!!

  6. PEB disse:

    Caros,

    A questão do software livre é quase religiosa mesmo pois é antes de mais nada, questão de liberdade. A mesma liberdade que temos para usar o Windows. É uma questão de livre arbitrio o uso de sistemas operacionais ou aplicativos mas o SL é mesmo um item quase religioso.
    Usar ou não, ser o melhor ou não é indiferente para muitos dos seus usuários.
    Sou usuário dos dois mundos e para mim o válido nessa discussão é a própria discussão em si. Como profissional da área, vivo tentando extrair o melhor de ambos os mundos, mas confesso que tenho sim uma quedinha pelo livre, entretanto não me deixo levar por isso e sim pelo resultado, tanto tecnico como financeiro. Creio que bater nessa tecla já esteja fora de moda e o quente da questão seja mesmo o poder de escolha que ganhamos.
    Mesmo antes de conhecer o Linux já achava a liberdade que o Unix dava aos administradores um diferencial frente ao Netware e ao NT. Com o Linux esse diferencial vem aumentando e a disponibilidade de softwares livres em todos os setores da ciência informática dá-nos uma visão exuberante ao futuro. Para a Microsoft a alternativa é correr atrás do prejuízo e isso vai dar aos usuários mais recursos.
    Por isso que considero essa “briga” bastante interessante aos usuários de ambos os sistemas.

  7. Denis disse:

    Eu tentei usar o linux mas tinha um erro no programa de instalação e nao foi possivel. Eu nao consegui instalar e entao acabei usando o windows. Mas fiquei feliz em saber que ha opção, e acho que nao deve deixar de existir. Creio que este numero so tente a crescer com a popularização do linux.

  8. Adal disse:

    Apenas para se fazer constar, o numero de 100.000 usuarios de outros SOs, dentre eles o Linux, pode ser em grande parte devido ao fato de a maioria das declarações serem feitas por empresas de contabilidade, das quais, com certeza, mais de 95% utilizam o MS Windows. Creio, com grande certeza que os 0,5% se referem aos usuarios que fazem sua declaração por conta propria.
    Acredito tbém, que se a comunidade se unir e fortalecer os softwares de gerenciamento financeiro, da maneira desejada pelos contabilistas estes numeros tendam a mudar.
    Abraços.

  9. Michel Ank disse:

    A questão é simples, hoje o mundo Linux desenvolve tudo que a Microsoft possue, aí está o problema. O mundo Linux só tenta fazer o que já “existe”, acho que está deixando a desejar nas inovações, lançar um pacote simples para pessoas iniciantes instalar e usar. Uma das poucas coisas diferentes que eu vi no Linux foi o Kurumin, isso, aquele em que vc utilizava um sistema operacional rodando o CD. Teria que haver algo do tipo, em que você colocava o CD instalava facilmente e por aí ia…
    Tem o lado da Microsoft tbm q já ve mto desenvolvimento de softwares, eles querem que programadores se extinguem e que vc só monte o sistema só arrastando botões praticamente, o que é a idéia do dotNet hoje em dia, eles querem facilitar totalmente as coisas e impor que todos utilizem o produto deles.

  10. Marcus Fazzi disse:

    Nada haver, isso só quer dizer que a maioria da população está usando software pirata, ainda, e que o software livre ainda está apenas começando nessa camada da sociedade que faz declaração de imposto de renda pela internet, Eu por exemplo fiz usando o software em Java no Linux e não via internet, coisa que quem usa Linux sabe que não é muito confiável e por isso não o fez… bando de desinformados esse povo da Veja, e pior ainda retransmitem isso.

  11. Alex Hubner disse:

    Digníssimos leitores, não vamos confundir as coisas. Sou contra o modelo de implementação do SL adotado pelo nosso governo, NÃO SOU CONTRA software livre. O exemplo maior é este blog, que usa LAMP (Linux, Apache, MySQL e Perl).

    O que está errado é gastar uma fortuna no desenvolvimento de um software (que não é livre, pois é feito em Java, que também não é uma plataforma livre, etc, etc), para beneficiar uma pequena parcela da população (elitizada sim senhor – quem usa Linux é uma pequena elite no mundo, já elitizado, da computação). Vejam uma pequena discussão sobre o assunto nos comentários deste post – http://www.cfgigolo.com/archives/2004/07/radicalismo_ide.html#comments. Pior ainda: queriam tornar estes 0,5% a regra, não a exceção. É uma vergonha, é uma tentativa de criar um “monopolio” em cima de outro. Sovietizar a área de software do governo e de um país não está com nada, não vivemos na década de 60.

    Liberdade não é o que o governo está fazendo, liberdade compreeende a liberdade de escolha, baseado no mérito técnico, coisa que o governo se esquece. Leiam meus posts – http://www.cfgigolo.com/archives/software_livre/index.html – e percebam que a crítica é à FORMA de adoção, que inclusive é criticada por especialistas da área, sejam representantes do mundo livre ou do proprietário. O governo come uma bola atrás da outra nesta questão e quem tem a perder é a população e o movimento em prol do software livre.

    E antes de mais nada: atenham-se ao assunto, flames serão sumariamente ignorados.

  12. flavio disse:

    1. Taxar esse governo néo-liberal de “socialista” é uma piada de mau gosto. Deve ter aprendido isso com o “filósofo” Olavo de Carvalho;
    2. Reclamar da tentativa do governo de “emplacar” o software livre, contra a “pobrezinha” da Microsoft, que só tem mais de 90% do mercado mundial e mais de 90% dos servidores e desktops da administração pública, indica que você deve estar na folha de pagamentos da mesma;
    3. Estou feliz por finalmente poder ter declarado o IR via internet e por ser um dos 100.000.

  13. flavio disse:

    Em tempo:
    Você deveria ler a entrevista do CEO da Intel Brasil no caderno de informática do Globo, de hoje!

  14. ARAGUARI-MG, 23 de maio de 2005.

    Prezados Srs.,

    Importantíssimo não omitir do contexto, a real situação de grande maioria dos usuários de Aplicativos para MS-Windows:

    – O Sistema Operacional e o Office em uso nos micros de Entidades, Empresas, Profissionais Liberais e simples usuários são realmente oficiais, ou pelo menos OEM?

    Caso contrário, a ênfase e a premissa do Software Livre é válida!

    Atenciosamente,
    Janis Peters Grants.

    Skype: gransoft
    http://www.gransoft.com.br
    [email protected]

  15. José disse:

    Olá a todos,

    Acho que este artigo publicado foi infeliz em alguns aspectos:

    1. Medir a força do software livre através das estatísticas de uso da versão livre do software do IR está fora de questão. O software livre vai muito, muito além do que isto. Eu mesmo, que uso tanto software livre, fiz minha declaração utilizando a versão Windows, pois estava mais acostumada com ela, e mesmo assim não deixo de defender e utilizar o software livre.

    2. Apoio completamente a decisão do governo federal de utilizar software livre. Acho que todos os leitores deveriam ler o livro (que é gratuito) chamado “A catedral e o Bazar” – busque no google. O livro explica toda a idéia do sofrware livre, e introduz conceitos importantes tal como “Segurança por Obscuridade”. Este termo, por exemplo, faz-nos refletir muito a respeito da quetão da segurança… softwares proprietários te entregam uma caixa preta dizendo: confiem em mim, meu software é seguro; enquanto que no software livre você pode conferir se as regras de segurança são realmente boas e bem implementadas, tendo a contribuição de milhares de pessoas, governos, e países diferentes que avaliam a mesma questão juntos e de forma aberta, todos com um interesse em comum.

    3. Linux, Apache e Java se tornaram grandes cases para demonstrar o sucesso do software livre. A idéia por tráz deles é justamente essa: é mais fácil que milhares de desenvovledores achem um erro num software do que poucos. A java, por exemplo, conta com uma comunidade mundial que faz toda a especificação da linguagem (a JCP), sendo que nesta comunidade tem assentos para Oracle, Nokia, dentre várias outras empresas de renome. Sabemos que Java hoje é realidade nos celulares, nos smartcards, nos pcs, nos sites, internet banking, etc. O Linux, por sua vez, já se tornou uma excelente plataforma para servidores e até mesmo para o uso em escritório e uso doméstico e em notebooks. O Apache, hoje, é disparado o servidor Web mais utilizado no mundo. A cada 10 sites que você visita, pelo menos 7 ou 8 funcionam em cima de Apache! Outro exemplo é o navegador FireFox, Suite Mozilla, muito procurados para evitar falhas de seguraça nos browsers comerciais. Eu mesmo estou acessadno seu site através da suite Mozilla.

    4. A Microsoft é uma senhora empresa. Muito competente e muito boa mesmo. Seus softwares são de alta qualidade e isto é inegável. Mas não podemos ficar pensando que só existe ela, pois a realizade de hoje é que muitas empresas de pesqueno e médio porte já utilizam Linux em seus escritórios. Governos da Europa já fizeram sua decisão por Linux e o Brasil está dando um passo importante neste sentido. É muito fácil criticar as decisões do governo, mas difícil é ser imparcial para analisar o porquê desta decisão.

    Já utilizei linux como plataforma de desenvolvimento e desktop por muitos anos, e sei que a plataforma é muito boa. Aliado a softwares tais como OpenOffice, uma pessoa faz o mesmo trabalho de escritório sem problemas. A única diferença é que a pessoa provavelmente não vai poder baixar sues joguinhos favoritos para instalar no computador… apesar de provavelmente existirem versões livres para eles.

    5. Em relação aos custos, sabemos que o Brasil passa por uma situação bem diferente dos países do “primeiro mundo”. Temos dívidas a pagar, e nada mais justo do que economizar. Se fôsse uma questão apenas de dinheiro.. mas não é, pois ao utilizar o software livre estamos contribuindo para a não pirataria de software, que é um problema real. Não sei se sabe, mas se uma empresa hoje for pega utilizando software idevido deve pagar muitas vezez o valor do software pirateado. Isto levaria certamente a maioria das empresas à falência. Não é a toa que muitas pequenas e micro empresas estão utilizando software livre.

    6. Foi dito que “o mundo Linux desenvolve tudo que a Microsoft possui”, mas ao mesmo tempo muitas empresas proprietárias também utilizam idéias que já existiam no mundo do software livre. Não vejo isto como errado, mas simplesmente uma evolução natural das coisas. Há certas idéias que são tão boas que seria loucura ir contra elas.

  16. Adam Brandizzi disse:

    Também não gosto da maneira como o governo tenta impor o software livre (se bem que isto parece mais atitudes pontuais, e como estes “pontos” são barulhentos aparecem mais que os outros), não gosto do fato do software não ser feito em plataforma livre etc. e tal… mas não entendi a “diqualé” desta reportagem. Que obrigatoriedade é esta que estão falando? Que eu saiba, ninguém foi obrigado a usar software livre não… tanto o é que muita gente fez declaração pelo Windows. Muito pelo contrário, até alguns anos era *obrigatório* fazer a declaração pela plataforma da Microsoft. É sério, não entendi lhufas. O que houve de errado em nos ser dada a alternativa?

  17. A minha opinião é breve:

    Quem não apoia o Software Livre é porquê não leu o bastante ou porquê não está nem aí para o nosso futuro tecnológico. Onde já se viu, deixar que tudo funcione em cima de um SO “windows” que tem códigos secretos e é mantido nos Estados Unidos, a nação que sozinha gasta a metade do orçamento global com armas?

    O windows é inalditável, é como confiar na urna eletrônica, só um ingênuo para confiar em tal coisa!

    Viva o Software Livre!!!

  18. Beck Novaes disse:

    Nossa! Toda vez que o Alex faz uma crítica ao Software Livre ele tem que se explicar. E é sempre a mesma coisa. As pessoas sempre perguntam o que ele tem contra o SL. Eu considero o ponto de vista do Alex válido, que, segundo a minha compreensão, é baseada na simples premissa de que devemos adotar a melhor solução para o nosso problema de modo que tal solução pode ser SL ou não. Eu também acho que o Governo erra em obrigar. Incentivar seria mais inteligente. Software Livre Obrigatório? A contradição da frase da manchete do jornal deveria ser o suficiente para que as pessoas adotassem uma postura mais racional e menos passional em seus comentários. Mas quem dará atenção a contradições quando o que está em jogo são “paixões”?

    []’s
    Beck Novaes

  19. Fabio-Brim® disse:

    Liberdade – Igualdade – Fraternidade

    Seja Livre, Use Linux.

  20. Maxwillian Miorim disse:

    O cara não meteu pau no Software Livre, ele tá criticando o governo, que impõe o Software Livre assim como a Microsoft impôs o Windows aos PCs alguns anos atrás.

    Uma coisa que eu concordo é que o Software Livre e o Software Proprietário devem manter uma coexistência “pacífica”, ou seja, usa o que quer quem quer, livre, original ou até mesmo pirata.

    É essa atitude do governo de impôr que afasta as pessoas do Software Livre. Imaginem, por exemplo, aquelas farmácias que ainda usam “sistemas em clipper”, os meninos(e meminas) que passam o dia em jogos, os contadores que usam suítes de escritório (temos o Open Office, mas ainda não é tão amigável ao usuário leigo e com menos recursos que o da Microsft) e vários outros usuários com seus aplicativos tendo que sair de todo aquele ambiente criado para eles e se aventurar em algo completamente diferente? Não daria muito certo… Não se fosse feito assim, como uma imposição direta e rápida.

  21. poderaopovo disse:

    Vamos parar de ser hipócritas! A Microsoft e outras tantas sempre nos fizeram de refém dos seus bytes. Acho que o governo está certo em manter sua proposta de software livre obrigatória pq é mais barato para nós (pagadores de impostos), além de auxiliar o desenvolvimento da indústria nacional de software.
    A liberdade de escolha é uma proposta linda mas utópica numa sociedade que possui o número de analfabetos sociais que nós temos. Os brasileiros que vivem nos “grotões”* não sabem e nem se interessam pela política nacional. Para eles, o importante é viver a quele dia, “esperando o que Jesus prometeu”**. Antes de propor liberdade, temos que fazer a inclusão social.
    Por outro lado, quantos de vocês ainda programam em VB ou Delphi? Pq não usam freepascal ou hbasic? Desde quando Sun-Java é livre? Pq não auxiliam o projeto Kaffe ou Classpath ou Mono a tornarem-se o “Java” ou “C#” opensource?

    * – gíria política usada para descrever os locais mais pobres do Brasil
    ** – Procissão-Gilberto Gil

  22. rodrigo disse:

    só um perguntinha ……….. ô Alex …… tu ganhou quanto com essa matéria na veja …… ou melhor, quanto a M$ te pagou ?

  23. Abdon Azevedo disse:

    Só quero deixar meu depoimento a favor da política de adoção ao Software Livre por parte não só do Governo brasileiro mas também todos os países de subdesenvolvidos.
    SE TRATANDO DE $$$,
    O BRASIL GASTA HOJE COM LICENÇAS DE SOFTWARE O 12 BILHÕES DE REAIS POR ANO. SEGUNDO O PRÓPRIO SÉRGIO AMADEU.
    Denheiro este que poderiam estar sendo aplicados em muitas outras coisas que sabemos mais do que ninguém…
    E outra quem falar que o Software livre é mais caro, está enganado. A implantação de repente pode até ser deivido aos gastos com treinamento, mais a longo prazo é mais vantajoso, já que não necessita que novas licenças sejam compradas (o que acontece com os softwares proprietário…)
    Sem contar na política CAPITALISTA que adotada pela empresa em questão.
    Se essa tal imposição não estivesse acontecendo no brasil, daqui a pouco nós estaríamos sendo vaquinhas de presépio e tendo que dizer Amém a tudo que os Estados Unidos disser.
    Antes de criticar devemos procurar nos informarmos melhor.

  24. Carlos disse:

    Já faz algum tempo que a receita federal disponibiliza uma versão do software em java, o que tornou a declaração multiplataforma e de quebra modernizou os processos de desenvolvimento e manutenção do mesmo. E para quem confunde Java livre com software open-source, sugiro que revejam seus conceito, afinal quem é que paga algum centavo para a Sun como licença para usar a maquina virtual, além do desenvolvedor? 🙂

    A mudança para java fez com que outros contribuintes adebitos de outras plataformas mantenham seu compromisso com o Leão sem serem obrigados a recorrer ao windows. Críticas como essa da revista só mostra o despreparo de certos jornalistas em relação ao universo do software livre.

    Quem é fã do linux sabe o quanto que o Brasil contribui no seu desenvolvimento. E quem realmente entende de TI sabe que os nossos eng. de sistemas são tão bons quanto os ingleses, escandinavos e israelenses.

    É isso. Duvidem sempre de jornalistas que escrevem só para vender revista.

  25. Neimar disse:

    Pensando em declaração de imposto de renda, o governo não está obrigando ninguém a usar a versão não-windows. Qual a discussão? Isso não devia ser criticado e sim apoiado, estão dando liberdade de escolha para todos.

    Alguém citou acima o montante gasto pelo governo em licenciamento e royalties de softwares … quem paga por isso somos nós!! Porque não obrigar o uso de software livre e parar de enviar esse dinheiro pra fora do país, qual o benefício em usar software proprietário no governo ? Isso não é uma questão de tirar a liberdade de alguém, trata-se de não tirar o dinheiro do povo pagando por softwares que não agregam nada além de custo.

  26. MarcioRodrigo Miranda disse:

    Só uma pergunta amigo…

    As cópias de UINDOU$$$ que você utiliza…

    FORAM COMPRADAS ?
    VOCÊ PAGOU ?

    Porque se não pagou, não entendo essa defesa radical de uma empresa monopolista.

    SE É TÃO BOM ASSIM, porque a maioria dos defensores dessa “empresa” não pagam pelo que utilizam ? (Pelo menos os que conheço… e não sabem onde enfiar suas caras quando eu pergunto isso)

    PORQUE NÃO VALE A PENA…
    Se fosse bom realmente, quem defende TEM O DEVER de pagar !!!

    Responda sinceramente, por favor.

    Abraços

  27. Leandro Lages disse:

    Quantos destes 19,9 milhões têm a licença do Windows??

    Uma pergunta que fica no ar …

    Leandro Lages

  28. Emanuel disse:

    As impressões que tenho lendo alguns comentários aqui:
    1 – Tem gente que ou não sabe ler ou precisa voltar pra escola pra aprender “compreensão de texto”, pq deturpam a opinião e o que está escrito pelo Alex.

    2 – O volume de comentários nesse assunto tá tão fora de proporções que estou quase acreditando que o governo brasileiro está “imitanto” a China. Ver a matéria:
    http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u18508.shtml

  29. Thiago disse:

    Você deve ser daqueles que sempre tentou usar linux mais não conseguiu nem passar da instalação e agora me escreve uma bobagem desta…. nunca fale o que não sabe… primeiro você deveria começar a ler e entender toda filosofia gnu http://www.gnu.org…certamente após ter leitura disso tudo, começará a pensar e refletir em que época nós estamos… o modernismo do tio Bill já era… e o pós-modernismo em que vivemos nos permite essa liberdade da informação, se não existisse essa filosofia GNU, talvez ainda estaríamos andando pra trás usando o rwindows… a partir do momento que temos uma informação apresentada e que várias cabeças possam pensar em cima dela.. a situação muda e nossa tecnologia aumenta… mais se temos uma equipe de programadores m$ com a informação trancada pra eles… é a mesma merda fabricada desde o win 3.1…

  30. Paulo Sérgio disse:

    Uma coisa, eu acho engraçado.
    A maior coisa que disseram aqui é, “quanto vc pagou pelo win?”, “Quantos usam cópia verdadeira e quantos detem cópias “genéricas”?”, etc…

    1 – Afinal, vcs apenas gostam do software Livre pq é bom ou pq por ventura não precisam pagar? Ele não deveria ser usado por que é bom e não pq é gratis?

    2 – Vcs dizem que é “quase” um crime simplesmente não ter opções e depender apenas de um S.O, mas, não acham tambem crime impor (ao invez de incentivar) o software livre e criticar a todos que não concordem ou então descordem dele, dizendo que se “vendeu” pra microsoft ou então pq é desinformado? Esse é o exemplo de opções de escolha (e pq não, de uma opinião) que tanto pregam?

    3 – Vamos supor que por algum motivo, o software proprietario deixasse de existir, e aque apenas software livre fosse vendido, bem, alguem aqui acha que todos os programadores continuaram a trabalhar de graça?
    Melhor.. alguem aqui acha que novos programadores como (talvez pudesse surgir um novo Linus torvalds) iriam querer aprender programação?
    Vejam bem, se vc não paga pelo software mas, paga pelo suporte (o Linux, Unix e solaris nesse quesito precisa de pessoas especializadas pra redes, banco de dados, etc.. por isso, seu custo é mais caro de quem trabalhe com win, isso é fato) aonde fica o programa “grátis”?

    4- O Linux ainda não é um ambiente muito atrativo pra quem sempre usou (e apenas usou) o Win.
    A maioria das pessoas que o usa, ou pq é programador ou trabalha em alguma área da informática ou então empresário. Porem, o susuário comum que mal sabe usar o win direito, não pensa em usa o Linux ainda e tended a se assustar quando se depara com Linux. Álias, o que mais escuto é seguinte frase “Claro que uso Linux, se quisesse facilidade usava o Win”, esse é o tipo de afirmação que leve um sistema pra ser melhor?
    Eu gosto do Linux, mas, mexo com informática. Ja fiz vario testes com pessoas que simplesmente se perdem pra simplesmente “abrir um misero cd” ou então, que jamais conseguiram instalar um driver.

    Creio que se quem tanto prega um so alternativo, com a mesma atitude que tem pra criticar quem não concorde (desculpe mas, opinião é opinião e deve ser respeitada, seja ela igual ou diferente da sua) deveria ter a mesma atitude pra que o S.O alternativo tenha as mesma facilidades e alem disso, seja melhor que o concorrente, criando coisas que revolucione e não que apenas seja uma cópia da concorrente, pois, se vc não consegue atrair o grande publico para o seu lado, dificilmente conseguira realmente crescer.
    E se o Linux conseguir ser mais amigavel, ai sim, teremos a certeza que o Win não estara com seus dias contados, mas, uma boa parcela dela deixara de usar, obrigando a microsoft ou abaixar consideravelmente o preço ou então, criar versões alternativas.

    Quem usa SL apenas quis fazer uma critica construtiva, afinal, sao apenas opniões e todos tem liberdade pra usar o que quer e tambem de dizer o que pensa livremente, sem que seja atacado simplesmente porque pensa de uma forma diferente dos demais.
    Que a diferença seja valida, e a indiferença seha banida.

  31. Walfredo disse:

    Primeiramente quero explanar sobre coisas escritas aqui que sou totalmente contra, como por exeplo dizerem que vc teve uma tentativa frustrada de intalar o linux, opinião é opinião, quem não respeita é melhor não postar nada…

    Seguinte, o governo ao meu ver teve uma boa iniciativa só não sabemos quem será favorecido com isto porque com certeza alguém vai se dar de bem nesta história.

    Tenho um pouquinho de antipatia pelo windows mas mesmo assim uso ele porque trabalho com o dreamweaver e o photoshop que não troco por nada…

    Sobre o software proprietário quem tem dinheiro banca quem não tem usa outro, agora te faço uma pergunta, a adobe comprou a macromedia e se ela resolver acabar com o coldfusion o que vc fará?
    Ao meu ver vc defendeu indiretamente a continuação da utilização do windows. Se a microsoft fechasse e dissesse, quem usar meu windows a partir de hoje será processado… e aí?(nesta até eu ia entrar de fiscal hehehehe)

    Abraços e parabéns pela discussão.
    Wal.

  32. Cara, isso é um absurdo!!!

    Tu não tem a menor noção do que é software-livre, deve ser daqueles que acha que software-livre é de graça.

    Caso você não saiba o software-livre é a única maneira de adquirirmos uma nação soberana, e que não dependa de interesses de um cara (tio Bill).

    O Windows é bom? é! Mas se fosse unânime todo mundo compraria, não é a toa que 65% das cópias são piratas, ok.

    Quanto é mesmo 65% de 19,9 milhões?
    ÁÁHH!! mais de 12 milhões de cópias piratas, o vc diz dissom multiplica pelo preço do Windows, quanta comida dápra mandar pra quem passa fome…

    Os USA pressionam o Brasil com uma medida anti-pirataria, o Brasil vai se submeter novamente ao FMI para financiar o Windows? vc deve achar que sim né! Vc deve ter plano de saúde e tudo +…

    O Brasil reage de forma digna, dando início a utilização do seu próprio sistema.

    Cara fui, indignado!!
    Não sou anti-Windows, masprefiro SL.

    Guilherme Rocha

  33. Alex Hubner disse:

    VOU REPETIR: Não critico o modelo de software livre – do qual uso e abuso com prazer, critico o que o governo brasileiro tenta fazer com ele, de forma forçada e atropelando o mérito técnico, que em MUITOS casos está do lado do software livre, mas isso não é regra (existem muitos outros casos do outro lado). Cada caso é um caso, cada necessidade uma necessidade. Oracle é um excelente gerenciador de banco de dados, mas não poderá ser mais usado pois existe uma “solução similar” de fonte aberto. Será que este similar vai ser adequado? Idem para uma SÉRIE de produtos e soluções. Isso é loucura, e é contra esta loucura que sou contra. Toda forma de absolutismo e de imposição deve ser combatida. Liberdade de ESCOLHA!

    1) Não deveria dizer, mas para não deixar dúvidas: conheço muito bem o que é software livre, seus conceitos e suas idéias. Mais do que isso: sou usuário de software livre, não apenas na “gratuidade” da licença, mas na possibilidade de se modificar o software e gerar algo mais adequado para o meu uso. Este blog é exemplo disso. Entendo as diferenças de licenciamento (GPL, OSI, BSD, blá, blá) e outras básicas. Se você ainda quiser me chamar de ignorante e que “não sabe o que isso ou aquilo”, volte para a escola, pois você não sabe ler. Atente-se ao que critico: o modelo de ADOÇÃO de software livre PELO NOSSO GOVERNO. Ponto final. O resto é masturbação mental de quem não tem o que fazer.

    2) Sobre a “reclamação”: a reclamação não é por dó da “pobrezinha” da MS. É por dó da nossa iberdade de escolha. Se, por exemplo, eu achar que Windows ou Mac são melhores e mais produtivos em ambiente desktop do que o Linux (numa distro de grife paga ou baixado gratuitamente) deveria ter a liberdade de escolher por eles, certo? Errado, o governo não quer que você escolha o que você julga ser melhor para você e seu negócio, ele quer que você escolha o que ELE escolheu para você. Dejavú do livro 1984 do Orwell. O valor da licença é irrisório se levarmos em consideração o custo total da solução (e iso não é discurso da MS). O pagar pela licença é um problema? Não deveria, pois a imensa maioria das licenças de software livre contemplam a venda destes softwares no formato licença ou serviço. Se não, do que viveriam Red Hat, IBM, Mandriva e outras?

    3) Sobre a obrigatoriedade: eu não tenho todos os argumentos possíveis e cabíveis, mas o governo está frequentemente tentando emplacar leis e normas que tiram os softwares proprietários da jogada. É quase uma birra pessoal contra a MS (ícone mór de softwares proprietários), mas acabam envolvendo empresas que fazem coisas excelentes, porém proprietárias. Sun, Oracle, Macromedia, e tantas outras. Foram espertos com a última novidade: ao invés de requisitos de software, requisitos de licença livre. Mas esta última determina o tipo de software também. Trocaram 6 por meia dúzia e estão fazendo o mesmo: obrigadando a usar software livre, independente se uma solução usando software proprietária seja boa (produtiva) ou não. O governo (leia-se: Sergio Amadeu) realmente acha que poderá acabar com a instutição máxima do capitalismo: a propriedade? Não seria mais sensato combater lobbys e outras práticas monopolistas e INCENTIVAR software livre ao invés de obrigá-lo? Sobre o assunto, leiam:

    A URSS é logo aqui:

    http://www.cfgigolo.com/archives/2005/01/a_urss_e_logo_a.html

    E comentários que seguiram ao post.

  34. Ronaldo disse:

    Bom, compreendi o texto do Alex mas gostaria de deixar minha opnião mais uma vez sobre este assunto!

    Sou totalmente a favor da adoção do software livre (obrigatório) no setor público. O que há de errado nisto? Escolha :

    – A economia que será gerada com a compra das licenças?
    – O aprimoramento dos servidores públicos, que aprenderão mais sobre informática?
    – Outros?

    Eu acho que a adoção de Linux só trará vantagens ao governo brasileiro. Até parece que o governo está querendo obrigar os brasileiros a uma coisa terrível!!

    Na boa, o que interessa a vocês?

    1. Ser bem atendido num posto do INSS?
    ou
    2. O sistema operacional utilizado pelos servidores públicos?

    Vamos parar de discutir isto e vermos a coisa boa que estão querendo fazer! E sem gastar dinheiro QUE É A ESPECIALIDADE DE NOSSOS POLÍTICOS!!!

    []´s a todos e pensem melhor!

  35. Vovô disse:

    Gente,
    O governo não está impondo absolutamente nada! Uma das premissas para o PC Popular ou PC Conectado, acom é o nome do projeto, é o subsídio nos juros e, apezar de ter ficado com pena, o governo não poderia subsidiar os juros da M$, mesmo ela sendo uma empresa com pouco capital.

    É uma pena, se a M$ fosse uma empresa rica, ela bem que poderia financiar os seus próprios produtos com juros tão baixos qto o do PC Conectado.

    Qto as 100.000 pessoas que fizeram a declaração do IR usando Linux, este número poderia ter sido bem maior, se o Serpro tivesse disponibilizado uma versão correta, junto com a outra. A versão Linux, foi liberada após a versão rwin.

    Para finalizar, gostaria de dizer que fico abismado com a incompetência do Sr Alex Hubner! Este cidadão é muito desinformado para dizer que Linux é coisa de elite! Só os Telecentros da Prefeitura de SP já treinaram mais de 500.000 pessoas sem recursos para comprar um computador, no uso de Linux e de outros Softwares Livres (http://softwarelivre.prefeitura.sp.gov.br/wiki/HomePage).

    Ô cara, antes de sair fazendo posts por aí com vc alardeou, procure se informar para não falar besteira. Liberdade é isso: o cara pode falar um monte de besteira impunimente.

  36. Joe disse:

    Algum leitor mal-informado escreveu: “A questão é simples, hoje o mundo Linux desenvolve tudo que a Microsoft possue, aí está o problema. O mundo Linux só tenta fazer o que já ‘existe’, acho que está deixando a desejar nas inovações”

    Vamos citar algumas das inovações do Software Livre e que depois foram copiadas para sistemas operacionais proprietários, como o Windows.

    1) O protocolo TCP/IP, que permitiu a Internet
    2) Os protocolos POP e SMTP, que permitiram o email
    3) O protocolo HTTP, que permitiu a WorldWideWeb

    Isso é apenas para começar. Se você utiliza a internet, hoje, dê graças ao Software Livre.

    Quanto às inovações da Microsoft… você deve ser daqueles que acreditam que o Windows foi uma grande inovação. É importante lembrar que o primeiro sistema de janelas foi criado pela Xerox, e, algum tempo depois, copiado pela Apple. A Microsoft demorou muito para conseguir algo quase tão bom quanto os sistemas da Apple (até hoje não conseguiu), e, se obteve sucesso no mercado, é porque subiu nas costas de um padrão aberto, o IBM PC, enquanto que o computador da Apple era totalmente proprietário (hardware e software).

  37. José Luís disse:

    O objetivo da Receita Federal (como apontou Carlos em 23.05) não foi “promover software livre” mas oferecer a opção de declarar IRPF em outra plataforma (Mac, *nux, etc.) visto que isso era solicitado há muito por uma camada da população.
    As pessoas reclamavam da oferta do IRPF apenas para MS-Windows por obrigar a comprar um S.O. diferente do que usavam (ou pagar a alguém para declarar por elas) para cumprir uma obrigação tributária. A única opção para essas pessoas era o formulário em papel (que implica em muito mais custos e erros). Agora essas pessoas podem passar a declarar em QUALQUER S.O. que tenha uma Máquina Virtual Java.

    Atualmente, o IRPF em Java está em sua “segunda” versão e já apresenta melhorias em relação ao ano passado. Por este prisma, futuramente substituirá tranquilamente a versão WIN32. Ora, isso não OBRIGA ninguém a usar Software Livre para declarar. Conheço pessoas que têm WinXP e declararam no WinXP usando o programa em Java. O objetivo (pelo menos para a Receita Federal) é a “multiplataforma” e não o “software livre”.

    Se observarmos com cuidado, veremos que estão aumentando as declarações feitas “online”: IRPF Simplificada Online, PJ Simplificadas Inativas e Declaração Anual de Isento.
    – Por quê?
    Porque você declara via web, independente de que S.O. você usa. Pessoalmente, acho que isso deve aumentar.

    Quanto ao projeto de Software Livre do Governo Federal, até onde eu sei, ele não OBRIGA ninguém a usar Linux. Ele apenas determina que, ONDE for viável, as repartições do próprio governo devem dar preferência a Software Livre. Isso para não mencionar o fato de que o programa não defende Linux em especial, mas Software Livre como um todo (OpenOffice.org, Gimp, etc.). Ou seja, incluindo o uso de software livre sob a plataforma Win32 (ou .NET, no futuro).

    Até onde, eu sei (em toda minha ignorância), o governo não é “contra a MS”, como não é contra nenhuma outra empresa com software proprietário, apenas pretende dar preferência a softwares que sejam livres, preferencialmente, open-source (por questão de auditoria/segurança). Tanto que ainda usa software proprietário em boa parte dos órgãos, no Serpro e na Dataprev. Se virem com cuidado, a página da Receita Federal usa animações em Flash (Leãozinho, Certificação Digital, etc.), que é software proprietário.

    Tem algumas reportagens muito boas sobre o assunto no primeiro número da revista Linux Magazine. Para quem não tem a revista, vão ao endereço abaixo:
    http://www.linuxmagazine.com.br/issue/01

    Dêem especial atenção às reportagens abaixo:
    – Guia de Migração – Entrevista com Rogério Santana
    – Planeta GNU – Software Livre não é Grátis!
    – FISL – O Brasil Mostra o Caminho…
    – Liberdade pra Aprender – Educação Livre em Santo André

  38. Joe disse:

    A nota publicada na VEJA tem um erro fundamental.

    Começa pelo título: “O Software Livre quase virou obrigatório”. Depois vem a frase: “a tentativa de tornar o software livre obrigatório nas declarações de imposto de renda”.

    Como é que é??? De onde o jornalista tirou a idéia de que o software livre se tornaria obrigatório nas declarações de IR?????

    O que o governo fez foi PERMITIR que usuários de outros sistemas pudessem declarar o IR, usando um software multiplataforma. Tanto é que 100 mil brasileiros optaram por esse caminho.

    É isso, simplesmente isso. A nota induz o leitor ao erro ao sugerir que, em algum momento, ele poderia ter sido obrigado a usar um sistema X ou Y. Isso era verdade antes, quando só podíamos declarar o IR no Windows; com uma versão multiplataforma, o usuário conseguiu verdadeira liberdade, para usar Windows, Mac, Linux, ou seja lá o que for.

    O Governo pode errar muitas vezes, mas, desta vez, foi o jornalista quem errou.

  39. Cid Marocci disse:

    Muito lúcido e oportuno o comentário do elitor Jose Luis. Errou quem disse que o governo obriga quem quer que seja a adotar o software livre. Apenas forneceu mais um meio de comunicação e transparencia à sociedade, possibilitando assim uma maior inclusão digital. O governo também está adotando a inciciativa de, dentro do sua infra-estrutura informática, livrar-se da dominação de um único sistema operacional (o Windows é usado como software oficial em grande parte dos órgãos que compõem a administração pública). Quanto a este posicionamento, uma análise mais detalhada deve ser feita (e deve estar sendo) com relação a custos de implantação X valor das licenças pagas ao software proprietário. Mas, de maneira nenhuma isso implica em OBRIGATORIEDADE por parte do cidadão em utilizar este ou aquele sistema. Perdoem-me a força da expressão, mas concluir isso é burrice.
    Antes de sair por aí reproduzindo matérias de veículos tendenciosos como a revista Veja, o autor deveria informar-se um pouco melhor sobre o assunto.

  40. Marcio Rocha disse:

    Concordo plenamente com o Alex quando, de forma técnica e precisa, critica o modelo de adoção do Software Livre no Governo Federal. Eu só não entendo, Alex, por que dizer que o mesmo Governo impõe a adoção do SL na minha máquina? Isso não é verdade. Para mim, cidadão não funcionário público, está me oferecendo opções. O Governo está, sim, trabalhando para adoção do SL no ambiente do próprio Governo. Muito natural, devido a gastos exorbitantes com licenças, apesar da maneira inadequada que você mesmo demonstra, ao analisar que alguns softwares são de qualidade impecável e consolidada, mas é obrigatória a adoção de um “similiar livre”. Obviamente não preciso divagar aqui sobre qual é o ponto da administração pública onde a adoção do Software Livre é muito bem indicada.

    Tá certo que esse governo é meio esquizofrenico, mas, particularmente, acho que a revista Veja não é digna nem de se folhear! hehehe

    Abraço!

  41. Marcio Rodrigo Miranda disse:

    Só mais um detalhe a acrescentar…

    O próprio governo americano, Nasa, Pentágono, entre outros, NÃO utilizam softwares da Microsoft, e mesmo eles sendo um povo muito patriota.

    Agora o governo do país em que vivemos toma uma decisão pensando no crescimento intelectual do povo brasileiro e é praticamente apredejado.

    Eu não entendo como existem pessoas que tem a CARA DE PAU de colocar em dúvida uma situação dessas, se o próprio governo americano que todos sabemos que não é bobo já dispensou…

    REALMENTE, ALGUNS BRASILEIROS NASCERAM NO PAÍS ERRADO.

    Meus sentimentos…

  42. Eric Jardim disse:

    Olá Alex Hubner e leitores de seus “posts”,

    Percebam que essa tira da revista Veja é uma completa contradição. De fato, foi uma mera oportunidade de falar mal do governo e do Software Livre de uma vez só. Aliás, está na moda novamente falar mal do governo.

    Não existe uma relação direta com a adoção de SL pelo governo com a criação de um sistema multiplataforma para declaração do IR.

    Até onde eu sei, esta questão do governo dar preferência ao SL é uma forma de tentar dimiuir o monopólio digital. Monopólios, obvimente, tendem a dimir a qualidade dos produtos.

    É verdade que impor o único e exclusivo uso de um determindado tipo de software (livre ou não) é errado (outro monopólio). Mas acho que não é bem isso que o governo está propondo.

    Para o tal Alex: criar um programa que SO FUNCIONA no Windows não é extremismo? As pessoas não deveriam ter a liberdade de escolha do SO (Mac/Gnu/etc…). Não acho que “torraram” uma grana. Pense nisso quando for chamar alguém de “radical” ou “extremista” (que, por acaso, são coisas diferentes).

    Ano passado paguei quase 7.000 reais de IR. Se cada um dos 100.000 da “elite” pagasse 3.000 de IR já pagaria o sistema. De fato, nosso dinheiro paga são as licenças de Windows que rodam nas máquinas do Governo.

    E o sistema novo do IR funciona muito bem. Eu declarei sem problemas.

    Eu andei lendo alguns “posts” desse tal de Alex e foi o que percebi: uma série de ofensas imaturas.

    Existem muitas pessoas sérias trabalhando com e para o Software Livre. Jogar todos no mesmo saco é um ato de uma pessoa imatura ou extremista. Algumas pessoas até fazem comparação com o comunismo e coisa e tal. Uma tremenda bobagem. Algumas pessoas notórias do SL são de extrema direita assumida.

    É verdade que muitas pessoas adeptas ao SL misturam as coisas. Misturam o SL com caridade ou solidariedade, no sentido que as coisas só podem e devem existir juntas. De fato isso não é verdade.

    Contudo, algumas pessoas acreditam que estão fazendo alguma coisa de útil. Grupos como o PSL-BA estão ajudando a levar a tecnologia com SL às comunidades do interior do estado da Bahia.
    http://twiki.im.ufba.br/bin/view/PSL

    Portanto, modere os seus comentários quando for generalizar. E se você não gosta, pelo menos respeite.

  43. Paulo Roberto Cabral disse:

    É por causa de umas cabeças como essa que esse planeta que está essa droga que está- Quem dera tivéssemos como derrubar os grandes impérios dos alimentos, dos medicamentos e de tudo e aí sim,democratizar tudo como vem sendo feito pelo software livre – Chega de monopólio – Prefiro o empobrecimento , se for o caso ,eu acho que não é , a ter um produto de qualidade , mas nas mãos de poucos – Meus parabéns ao governo Lula e a todos os governantes que estão ,felizmente , tomando essas decisões e elas não deveriam , repito , serem tomadas só nessa área não , em todas –

  44. Neimar disse:

    Basta lerem os outros posts do Alex sobre outros assuntos e ficará muito claro que ele não gosta mesmo é do governo (PT) e ataca como pode, essa nota é apenas mais um atentado, muito infeliz por sinal.

    Como pode alguém defender que o governo continue gastando com licenciamento de software se pode ter as mesmas soluções com custo inferior. O que tem de errado no fato de o governo obrigar (EM ORGÃOS PÚBLICOS) o uso de software livre para forçar uma redução de custos ? Que tipo de contribuinte prefere que o governo não procure reduzir custos?

    Liberdade de escolha não pode ser usada como argumento nessa discusão, os únicos afetados nesse caso são os monopólios. A única liberdade que está sendo ferida é a liberdade que os monopólios tem para levarem NOSSO dinheiro embora. A liberdade do povo não está sendo afetada.

  45. rafa disse:

    “É sempre bom saber que não sou o único”

    é, não é o único e está MUITO bem acompanhado: VEJA.

    po, hubner, a VEJA, meu caro?

    sei lá, mas acho que eu prefiro ter o baboo.com.br concordando comigo do que a VEJA, hehehe.

    mas você não sabe do que fala, então eu respeito.

  46. Gabriel disse:

    só da RETARDADO NESSA PORRA.

    QUEM DISSE QUE O GOVERNO ESTA OBRIGANDO USUÁRIOS A USAREM SOFTWARE LIVRE ?

    VAI TOMAR NO CU QUEM TA FALANDO ISSO.

    SE O GOVERNO OBRIGAR ALGUEM A USAR SOFT LIVRE SERÁ DENTRO DO GOVERNO E NISSO ELE TEM PLENO DIREITO. SOFTWARE PROPRIETÁRIO CUSTA CARO E SE O GOVERNO TEM A OPORTUNIDADE DE REDUZIR CUSTOS SEM PERDA DE PRODUTIVIDADE ELE DEVE FAZER-LO

    E UM BIG FODA-SE PRA QUEM CONTINUA ACHANDO QUE O GOVERNO VAI OBRIGAR ALGUEM A INSTALAR LINUX EM CASA
    PUTA COISA RIDICULA DE QUEM NAO RACIOCINA E NAO SABE LER.

  47. Marco Ferreri disse:

    Alex: todo mundo tem direito a exercer sua opinião sobre qualquer assunto. As suas colocações sobre SL poderiam até ter sido consideradas seriamente.
    Mas vc começou mal…
    Usou uma “reportagem” incompetente e/ou maliciosa como ponto de partida.
    Foi um grande, grande erro.
    Comece outra vez, mas agora use uma fonte mais confiável.

  48. Alex Hubner disse:

    O Governo não obriga ninguém de fora do governo a usar software livre, isso é verdade, mas onde foi que eu disse que ele obriga todos nós? A minha crítica se dá pelo fato de o governo começar a fazê-lo “dentro de casa”, nas próprias repartições, antros e autarquias, modelos nacionais de eficiência não é mesmo? A crítica não é generalizada, é bem específica: diz respeito ao governo e suas políticas no que tange à obrigatoriedade em se adotar SL e os argumentos que tem sido usados para tal. O governo SIM, faz propaganda do programa de declaração em Java como sendo um “modelo de sucesso” da adoção de SL no país. Entre outros modelos de “sucesso”, estão os telecentros de SP, que pude acompanhar de perto e que teci alguns comentários neste post – http://www.cfgigolo.com/archives/2005/02/pc_com_linux_pa.html. Tirem a bunda da cadeira e vivam a realidade, que certamente não é a utopia encontrada em universidades, sites e listas de discussão de SL, cheia de gente bem intencionada, mas que precisa tomar um chá de realidade para focar seus esforços em PRODUZIR mais e falar menos. Se diz respeito ao governo, diz respeito a todos nós, como cidadãos. O governo não “tem direito” algum, o governo tem o “nosso direito” e ponto final. Não vou entrar no mérito desta questão pois o buraco é MUITO mais em baixo.

    A “reportagem” (na verdade era uma mera nota de rodapé) foi infeliz, concordo. Misturou alho com bugalho (apesar de que o software IRPJ em Java ter sido usado frequentemente como garoto “propaganda” do governo SL… que bela história para boi dormir heim? Um programa em Java é livre de cabo à rabo? Cadê o fonte do programa IRPJ??? Alguém viu? A nota é infeliz nos seu sentido estrito, mas feliz em sua essência pois transmite o sentimento que existe entre os que se sentem obrigados a fazer determinada coisa deliberada por um doido qualquer do alto escalão e com pouca aderência à realidade.

    Como não consigo me fazer entender por palavras (que são ácidas e “trollizadas”, admito), peço desculpas e me retiro à ignorância (anotada por alguns trolls que comentaram por aqui – pena que num nível muito chulo) deixando quatro páginas do livro “SOFTWARE LIVRE- POTENCIALIDADES E MODELOS DE NEGOCIO” Cezar Taurion (IBM), ed. Brasport – http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nitem=756323&sid=2016250407429793709685446&k5=188DCC4&uid=. Em IMHO, é a melhor e mais real/profissional análise das oportunidades com software livre que temos à frente feitas em português e por um tupiniquim como nós. Cezar é um profissional que vive de software livre de forma sustentável, sensata e descarregada de víeses políticos e ideológicos. Conheço e admiro o seu trabalho na IBM. Leiam e tirem suas próprias conclusões. Crítica construtiva, crítica sensata, focada e de acordo com a realidade. Cezar comenta especificamente sobre este “imbróglio” e sobre o que deve ser coerente por um governo ao adotar SL. Grifei, em vermelho, passagens que me chamaram mais a atenção e tem a ver com o que foi discutido neste post.

    Em PDF (788Kb) – http://www.cfgigolo.com/unsorted/tentativa_aloprada/sl.pdf
    Em HTML+imagens (400kb) – http://www.cfgigolo.com/unsorted/tentativa_aloprada/sl.htm
    Em PostScript (1Mb) – http://www.cfgigolo.com/unsorted/tentativa_aloprada/sl.ps

    Está ocorrendo um fenômeno engraçado neste post já atolado: o pessoal está vindo direto daqui – http://www.noticiaslinux.com.br/nl1116807365.html – dão uma rápida olhada na coisa, pensam: “ahh…, estão falando mal de software livre, deixa eu meter o pau” e vão direto aos comentários, falando muita besteira. Peço desculpa aos que fizeram e que gostariam de fazer comentários pertinentes e inteligentes e contra a minha opinião, mas vou fechar os comentários deste post. Já deu né? Sugiro aos blogueiros que desejarem uma retrucada ou apoiada no que foi dito aqui. Chega de abusar deste espaço. Autoritário? Sim, qual o problema? Temos um governo igualzinho e muitos acham bom! Acompanhem (ou direcionem) as discussões sobre o assunto no post que originou essa enxurrada de comentários – http://www.noticiaslinux.com.br/nl1116807365.html#comentarios

    Ah! Um último comentário sobre a revista Veja. Qualquer imbecil mais sensato e focado (como eu) sabe filtrar o que lê. A nota da Veja foi um pouco infeliz como já disse, mas um belo exemplo, em escala nacional, da inconformidade com este governo com problemas sérios de personalidade (e de apresentar resultados palpáveis) que tenta emplacar medidas provisória, projetos de lei, decretos, o raio-que-o-parta-sem-fim para obrigar (primeiramente) as autarquias públicas a usar um modelo de software de forma homogênea, sem liberdade de escolha (leiam a lei e parem com essa estupidez de falar que o governo NÃO está limitando nada – está limitando sim, quem vive em Brasília e convive com a área técnica do governo sabe o que estou dizendo. De novo, leiam os comentários deste post – http://www.cfgigolo.com/archives/2005/01/a_urss_e_logo_a.html.

    O meu único alento: o governo, como sempre, muito disse, muito falou, mas pouco fez. Tem mais 1,5 ano pela frente. Será que toda essa masturbação mental e teórica vai surtir efeitos de vulto e palpáveis? Só o tempo dirá. Até lá, continuarei metendo o pau naquilo que me tange e que não me agrada.

    Obrigado pelas idéias colocadas e pela diversão proporcionada.

    **UPDATE EM 25/05**: Pensei melhor e reli muita coisa de forma mais rápida e calma agora a noite. Achei legal reabrir o espaço para discussões uma vez que este post está linkado em vários lugares notórios da comunidade opensource.

    Eu, pessoalmente, transferi esta discussão toda para um outro post, cujos comentários/mensagens estão se desenvolvendo forma mais civilizada e focada no assunto: SL no governo. Convido aos interessados a participar (desde que atentos ao assunto que está sendo discutido). Gostaria de ter uma opinião diferente sobre a atitude do governo ou reforçar a minha idéia atual. Convido-os a me provocar de forma inteligente e com argumentos válidos e fatos comprovados.

    Governo e software livre:
    http://www.cfgigolo.com/archives/2005/05/governo_e_softw.html

    Comentários, xingamentos e agressões gratuítas continuarão sendo deletadas por aqui.

  49. Olá camarada!

    Opiniões costumam ser antagônicas, posto que trata-se de um comportamente inerente aos grupos, a mente humana et coetera.

    Mas a questão é bem clara. A maioria usa o Windows por que ele já está bem definido no mercado, tornou-se um clássico e um referencial. Usam por que mais de 75% é pirata e todo o “sobrinho” sabe instalar.

    Eu mesmo raramente paguei por um Windows quando eu “usava”. Por um Windows e por qualquer outro programa pago.

    O governo está correto, até por que aplicar estes sistemas nos órgão federais é uma questão ética.

    Um sistema superpersonalizável como o Linux é uma “benção” nas mãos de nossos técnicos que podem criar até bibliotecas de programação que atendam a nossa realidade.

    Sem contar que qualquer pessoa com boa vontade, tempo e necessidade criará sua distro personalizada, e não precisará trocar de computador a cada seis meses. Imagines também os empresários que tem dezenas de maquinas!

    As pessoas que são a favor de softwares proprietário o fazem por que nunca sofreram um processo. Eu tenho certeza que a maioria burla o que o contrato explicita.

    Estes dias eu lí numa revista especializada que quem mais sofre com os programas pagos, geralmente são os próprios compradores, que se vêem em meios a dezenas de passos para registrar o mesmo. Até parece que este usuário é um larápio de quinta.

    O Windows é melhor? Depende, em alguns casos sim. Principalmente em Desktops. Mas não pagaria mil e poucos reais em um sistema operacional nem “se a vaca tossisse”. Sem contar que o Autocad tem um preço exorbitante, o 3ds Max, o Photoshop, o Office… por que pagar tanto a produtos que não se usa 10%?

    Não tem lógica! Os softs saem mais caros do que um micro dual!

    No Linux dá-se para fazer tudo. Excetuando algumas tarefas específicas de programas e drivers do Windows. Mas isso é questão de tempo. Tenho uma nVidia que funciona muito melhor no Linux. E o OpenGL também roda melhor lá.

    Quanto a esta reportagem da Veja… ela é uma ótima revista, mas erra também. Aliás, de informática ela não entende muito, pois sempre trata os assuntos superficialmente. Só principiou a escrever maciçamente sobre informáica apartir do boom da Nasdaq, ou seja… não tem um histórico bem sucedido na contemplação do futuro cibernético.

    Grande abraço!

  50. Lampreia disse:

    O cara falou uma boa verdade. Software livre tem que ser livre na escolha tambem. Que obrigar que nada, usa o que e melhor e pronto cacete! Esse governinho e uma bosta mesmo. Eu fiz a minha parte: nao votei neles.

  51. Marco Antonio disse:

    Os defensores do software livre soh apoiam a iniciativa do governo simplesmente porque lhes convem. Nao ha preocupacao nenhuma, querem apenas que o software livre seja emplacado e ponto final. Basta ver que a colaboracao desta comunidade eh nula e inexistente nas iniciativas do governo (como bem apontou e lincou o hubner logo acima). Isso so vem mostrar que a comunidade soh se preocupa em colocar o software lah e pronto, agindo na surdina e defendendo ideias abusivas sem pensar no futuro, sem respeitar a maior obviedade dessa estoria toda que é que o governo estah tolhendo a liberdade de escolha. Soh quem eh burro nao ve assim. Por ser obrigado a justificar alguma coisa para se poder usar o software fechado, o governo estah criando uma trava, um empedimento, um bloqueio, uma proibicao mascarada de de justificativa. Como programador web e funcionario de uma grande estatal (prefiro nao mencionar), quero continuar usando Dreamweaver e outros softwares bons dessa area simplesmente porque eles sao os melhores softwares (mente quem diz o contrario) para programacao web existente e que nao possui similares em qualidade e velocidade no mundo livre e olha que eu ja procurei. Vamos ter que usar uma solucao aberta daqui a bem pouco tempo pois a gerencia jah avisou que nao serao compradas mais licencas da nova versao do dream. No final das contas vamos ter que contratar mais dois funcionarios e um estagiario para dar conta do trabalho que antes era feito apenas por tres pessoas, internamente. Fica ai o meu desabafo. Parabens ao Hubner por levar esta questao a luz da mente das pessoas.

  52. Iuri de Arruda Gules disse:

    Não estou entendendo… Se num usar linux vai pro campo de consentração?Vai pra cadeia?Recebe pena de morte?A galera está reclamando de algo banal!
    O programa de declarar IR não usa Java?Eu acho que java funciona em windows também. E outra… O nosso presidente não pode fazer nada se o povo não estiver realmente querendo um país melhor. Ele ajuda quem pede ajuda. Que tal você agrupar várias pessoas que reclamam dele e falar o que você acha e o que ele deve fazer? Certamente você não vai fazer isso, porque vai dar muito trabalho…não vale a pena…, ou seja, o você vai estar aceitando o governo… estou certo?

  53. Tango disse:

    Gostaria de parabenizar o Alex por sua atitude de extrema hombridade ao admitir que talvez houvesse um certo FUD em seu artigo (http://linuxfud.org/?q=node/134#comment-220), após uma discussão extremamente polida e educada no site LinuxFUD (http://linuxfud.org/). Não discuto aqui os méritos ou falhas do que você escreveu no artigo original, mas venho ressaltar as qualidades decorrentes de gesto tão nobre.

    É preciso ser forte para defender uma idéia, mas é preciso ser mais forte ainda para perceber um erro e admitir tal em público.

    Ratificando, meus parabéns, Alex Hubner.

  54. bebeto_maya disse:

    __O governo NÃO empurrou o Software Livre goela abaixo do contribuinte como afirma o folhetim vagabundo chamado Revista Veja, cujas páginas são em sua metade compostas por anunciantes que têm participação decisiva na concepção editorial da publicação imbecilizante das massas.

    __O que os jornalistas hipócritas da Veja não ¨sabem¨ é que a tecnologia de imposto de renda do governo é JAVA, e multiplataforma. O que os pseudo-jornalistas da VEJA não sabem é que embora 99,5% das pessoas usem o Windows, dessa boiada, sim pois é assim que a MS nos trata, 90% usa software pirata.O que Veja, e sua arrogância italo- ¨FOda-se os seres pensantes, negros e pobres¨- americana finge que não sabe, é que seus números só provam um monopólio estagnante que sobrevive sugando nossas divisas para o exterior e alimetando um enorme contigente de sub-empregados que depende da plataforma da Redmond.O que veja não sabe é que embora nosso governo seja, como sempre foi, corrupto, não é certo abandonar minorias só porque resolveram usar o cerébro para pensar e fazer uso do democrático ( palavra que Veja, estupidamente adora), direito de escolha. Pois um país é de todos. . .

    __Veja não pratica mais jornalismo,é revista marrom. É o pivô dos lucros da Editora Abril, que fatura vendendo aquilo que os grandes empresários desejam que leia-mos. Veja é fascista, anti-democrática, parcial. . .E sobrevive de caluniar movimentos Sérios de pensadores geniais, como Richard Stallman, Linus Torvalds, Marcelo Torsatti e todos aqueles que formam a nossa comunidade do Software Livre bem como tantos phd`s e diversos gênios do MIT (massachussets Intitute of Thecnology), muito mais sábios que, por exemplo, o Sr. Mainardi, graduado em nada e algo mais, que mantêm em seu ¨estabelecimento comercial¨.

    __Veja não é nosso pesadelo, é a dor de um povo iludido, canalizada para as causas erradas de seu sofrimento. Pois se a plebe sabe, revolta-se.Contudo sob os auspícios da mais plena democracia, um povo ignorante sempre será escravo!

  55. Se você fosse ativista PHP ao invés de CF, iria adorar…

    Cada um puxa a brasa pra sua sardinha, meu brother.

    Eu adorei, afinal, faço XHTML, CSS, JavaScript e nem dependo do Dreamweaver.

  56. bebeto_maya disse:

    “Se você fosse ativista PHP ao invés de CF, iria adorar…

    Cada um puxa a brasa pra sua sardinha, meu brother.

    Eu adorei, afinal, faço XHTML, CSS, JavaScript e nem dependo do Dreamweaver.”

    _Pois é, não é nenhum pouco suspeito quando a Redmond diz que os vírus para Linux são rão daninhos quanto os do Windows. . .Já usei Windows do 3.11 ao XP e 2000, e já vi e pratiquei a maneira suja como os desenvolvedores, (maioria), trabalham com as ides gráficas do Windows, sem se preocupar em aparar as arestas e em escrever códigos limpos.Quanto a veja cabe-me afirmar que ela estaria correta se não existisse esse racíocinio:

    “Governo obriga declarantes de imosto de renda a usarem software proprietário e adquirirem uma cópia do Windows”

    __Era isso que acontecia na administração FHC, mas ninguém se tocou,proavelmente para não magoar a MS.

  57. Snoutx disse:

    Post do bebeto_maya em maio 27, 2005 03:09 AM

    Concordo plenamento com vc Bebeto em genero numero e grau.
    E digo mais.
    As coisas estão acontecendo de forma erronea no nosso governo (dito por Alex e não entendi pelos demais do post ).

    Não vou falar mais nada por que o que eu falar eu estaria repetindo o que o Alex ja disse…
    Snoutx

  58. Snoutx disse:

    Post do bebeto_maya em maio 27, 2005 03:09 AM

    Concordo plenamento com vc Bebeto em genero numero e grau.
    E digo mais.
    As coisas estão acontecendo de forma erronea no nosso governo (dito por Alex e não entendi pelos demais do post ).

    Não vou falar mais nada por que o que eu falar eu estaria repetindo o que o Alex ja disse…
    Snoutx

  59. Brunno Pleffken disse:

    ONDE FOI PARAR MEU COMENTÁRIO QUE DEMOREI TANTO PRA ESCREVER????

    Sem mais,
    Brunno Pleffken