CFUnited começa com uma boa notícia: Tim Buntell

Tim Buntel está de volta à Adobe e ao ColdFusion. É o que estão divulgando por aí. Tim tinha anunciado sua saída em Fevereiro, mas aparentemente não conseguiu ficar muito longe do ColdFusion… :-)


Web 2.0, Wikipedia, Digg e o maoísmo digital

Dois artigos bem interessantes. O primeiro, mais extenso, tem relação com algumas das críticas que fiz à comunidade que mantém a Wikipedia (e que dita de forma enviesada o conteúdo lá existente) e traz algumas considerações interessantes (bem mais profundas, além as simples críticas ácidas que fiz):

DIGITAL MAOISM: The Hazards of the New Online Collectivism (Jaron Lanier)

O segundo, do já controverso Dvorak, é uma variação destas mesmas críticas que, em resumo, coloca em cheque a validade e a confiabilidade do conteúdo participativo, perguntando se realmente estamos construindo uma “inteligência coletiva” efetiva e real (algo longe da realidade em locais como a Wikipedia) e – pelo que já notei – longe também da realidade em locais como o Digg, onde notícias sensacionalistas no estilo “Microsoft pretende dominar o mundo” ganham sempre destaque, simplesmente por agradar o público frequentador (o que não necessariamente é uma representação democrática, como muitos apregoam) em detrimento de qualquer análise realmente imparcial e desengajada. Ambos os sites/recursos são muito interessantes, mas precisam ser analisados e visitados com cuidados e ressalvas.

Understanding Digg and Its Utopian Idealism (John C. Dvorak)

Obviamente os farristas da Web 2.0 e defensores da “coletividade inteligente” (lembrando: depois de seus egos e crenças pessoais), já se puseram a criticar as críticas. Nada mais natural, afinal de contas todos eles (sem exceção) fazem dinheiro (ou nome) com a hype criada em torno do conceito de Web 2.0.


Flex 2.0, ColdFusion 7.02 e Flash 9.0 lançados

O pessoal da Officer, que está na CFUnited reporta que efetivamente, Flex 2.0, ColdFusion 7.02 (Mystic) e o Flash 9.0 foram lançados. Mais detalhes você encontra nos inúmeros blogs que já estão noticiando e mais adiante por aqui.


BlogCFC e “fully qualified names”

No blog da DClick estamos utilizando o sistemas de blog BlogCFC, escrito em ColdFusion por Raymond Camden, programador ColdFusion provavelmente bem conhecido do pessoal – ele mantém alguns projetos interessantes, como a lista CFCDev, CFLib e afins.

A idéia de utilizar o BlogCFC foi que justamente ele era em ColdFusion, de modo que seria fácil customizá-lo e utilizarmos em nosso servidor de hospedagem (que já tinha o CF instalado). Um das primeiras coisas que notei quando baixei o sistema de blog foi a grande quantidade de funções createObject() em objetos Java, e o nosso servidor de hospedagem usa sandbox security e por razões óbvias, bloqueia o uso de objetos Java no servidor, algo que aprovo e sempre sugerimos aqui no blog.

Read the rest of this entry »


pegaData 1.3

Atualizações da CustomTag “pegaData”, incluindo as contribuições de Ronan Lucio, a quem agradeço, e também algumas minhas, de última hora. Veja um exemplo e faça o download da dita cuja aqui.


Frase do dia

“What if I train my staff and they leave?”
“What if you don’t train them, and they stay?”

– Desconhecido, mas parece ser um ditato norte-americano.


Gmail para seu domínio

Há algum tempo o Google está oferecendo a possibilidade de usar o Gmail (a infraestrutura e a excelente interface do webmail) para um seu domínio (qualquer um). Você pode inclusive personalizar algumas coisas na interface, tal como o logotipo e algumas mensagens. Também pode usar POP/SMTP, entre outras coisas existentes em qualquer conta normal do Gmail. Interessante não?

Read the rest of this entry »


Frase do dia

“If you think education is expensive, try ignorance.”
– Derek Bok, presidente da Harvard University de 1971 a 1990


Frase do dia

“If you think installing patches and security updates is expensive, try not installing them.”
– Mark Crall


Flex 1.5 no ColdFusion: cfchart, headless e múltiplas configurações da JVM

Assim como o ColdFusion, o Flex 1.5 também é uma aplicação Java, e digamos que você está desenvolvendo um projeto com ambas as tecnologias, normalmente iniciariamos duas instâncias – o ColdFusion standalone e o Flex standalone, ou a instância deles em um deploy num application server como o JRun ou TomCat. Mas o mundo Java é bem mais extensível do que isso e é possíval instalar as duas aplicações (ColdFusion e Flex) sob a mesma instância, iniciando portanto as duas ao mesmo tempo. Rodando as duas sob a mesma instância, sob os mesmos parâmetros de JVM, etc. A Macromedia disponibilizou um technote, há muito tempo atrás, de como instalar o Flex 1.5 no ColdFusion.

Porém, infelizmente isso pode trazer um notório problema que enfretei há muito tempo, no meio do ano passado (sim, esse é um post bem atrasado, mas que ainda sim pode servir de referência). Se seu application server estiver rodando em um servidor headless, isto é, sem monitor, sem placa e capacidade gráfica, o Flex 1.5, na instalação padrão não funciona, pois ele usa a API do Java AWT (Abstract Window Toolkit) para implementar tratamentos com gráficos e afins, e tenta usar processamento de hardware para tal. Como o servidor é headless, não há hardware para responder estas requisições. Em um caso que passei, o servidor era um Linux acessado remotamente por SSH – um verdadeiro “headless server”.

Felizmente há uma solução bem simples e trivial para isso, e a Macromedia (na época) disponibilizou um technote para servidores headless: adicionar o argumento -Djava.awt.headless=true na JVM, para que as instruções do AWT sejam executadas por software. Notem que neste technote, há uma passagem que diz: “Somente configure para headless se sua máquina realmente não tiver placa gráfica, caso contrário a tag cfchart do ColdFusion pode dar erros”.

No meu caso o ColdFusion e o Flex realmente estavam sob a mesma instância, mas o CF só provia as camada de negócios, e não gerava gráficos. Contudo, as outras instâncias do mesmo servidor (todas as instâncias sob o JRun 4) geravam gráficos com cfchart, e o JRun, por padrão, compartilha os parâmetros de inicialização da JVM, de modo que o parâmetro headless seria aplicado também às outras instâncias, inclusive as que tinham apenas o ColdFusion instalado. Mas o servidor era mesmo um headless, então não havia o que temer. Supostamente…

Mas todos os gráficos das outras instâncias do ColdFusion (criados com a tag cfchart) pararam de funcionar após o acréscimo do parâmetro do headless, parâmetro esse necessário para que o Flex instalado sob o mesmo JRun funcionasse!

Em um outro technote da Macromedia, fica claro que a tag cfchart não funciona se você utilizar o argument de headless na JVM (veja um outro technote sobre cfchart, headless e contas de domínio no Windows aqui). Mas oras.. eu precisava do parâmetro de headless para iniciar o Flex, mas não podia utilizá-lo se não os gráficos do ColdFusion paravam de funcionar!

Situaçlão delicada… Posto isso, algumas outras soluções eram possíveis. (1) Instalar uma placa gráfica no servidor, (2) ou rodar as instâncias com parâmetros de JVM diferenciados – algo que o JRun 4 não permite por sua interface administrativa (mas que felizmente se preocuparam em adicionar essa funcionalidade no JRun 4.5 “Cheetah”, em beta).

Então a primeira coisa que passou no momento foi instalar outro JRun, um com as instâncias do Flex 1.5 com ColdFusion, com o parâmetro headless na JVM, e outro JRun com as instâncias do ColdFusion, em que estes precisariam gerar gráficos via cfchart. Isso até descobrir que no JRun 4 é possível sim iniciar as instâncias com parâmetros de JVM separados (inclusive está no Release Notes).

Enfim, essa situação tende a não ser mais vista (já nem era tanto, já que é uma situação específica) com o advento do Flex 2 e a geração local (na máquina do desenvolvedor) dos arquivos, mas ficam por aqui as dicas (e o “causo”).


Website Security Test